Informação, Tecnologia e Qualidade a Serviço do Criador.

O portal feito para você e seu pássaro!

(19) 3873-4161 / (19)3903-2065 / (11)97110-0585

vendas@amgercal.com.br

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
  |    |   São Paulo - SP 

Verminose em aves: Como controlar

Taís Cremasco Donato Médica Veterinária Residente do Laboratório de Ornitopatologia – UNESP/ Botucatu

Ticiana Silva Rocha Mestranda em Ornitopatologia – UNESP/ Botucatu

Prof. Ass. Dr. aAdriano Okamoto Disciplina de Ornitopatologia – UNESP/ Botucatu

As enfermidades parasitárias estão entre as principais doenças que afetam as aves e que dificilmente são diagnosticadas.IMAGEEM Podendo causar desde uma doença sub-clínica até a morte. Acomete não só o trato digestivo, mas respiratório e reprodutor também, deixando-a mais susceptível a infecções secundárias.

A contaminação das aves pode ocorrer devido a manejo inadequado, introdução de pássaros novos ou vindos de exposições e torneios sem realização de quarentena, ou mesmo através do acesso de aves silvestres de vida livre nos plantéis.

Aves com endoparasitas podem não apresentar sintomatologia clínica, caso ocorra uma baixa quantidade de vermes. Mesmo não sendo muito claros os sinais clínicos observados são: emagrecimento; má absorção de alimentos; baixo crescimento em filhotes; diarreia; fezes escuras e com sangue.

Os vermes mais comuns que acometem as aves pertencem às classes Nematodae Cestoda.

Na classe Nematoda há o Ascaridia Galli, presente no intestino delgado. Em grande quantidade pode ocasionar manifestações intestinais graves como hemorragias decorrentes da congestão e lesão da mucosa intestinal.

O Heterakis Gallinarum também pertence a esta classe. Parasita o ceco e possui importante ação no transporte de outro protozoário denominado Histomonas meleagridis, agente causador da histomoniase ou "cabeça negra aviária".

Capillaria sp. causa reações inflamatórias, espessamento de parede do papo e esôfago, podendo perder a elasticidade e em infecções maciças provocar enterites graves. Quando em grande número são bastante patogênicas.

O Syngamus trachea parasita os brônquios e traqueia. Sua importância patogênica é bem evidente em aves jovens, que apresentam tosse e dificuldade respiratória. As aves abrem o bico e esticam o pescoço como se estivessem deglutindo.

Na classe Cestoda há a Davainea Proglotina, que acomete intestino delgado e ocasiona enterite hemorrágica grave, as aves apresentam diarreia com sangue e às vezes pode observar os proglotes na matéria fecal.

O diagnóstico na maioria das vezes é concluído a partir de exames laboratoriais, como exame microscópico de fezes, feito pelo Médico Veterinário. 0 tratamento é feito a partir de vermífugos, que devem ser indicados de acordo com o endoparasita encontrado nas fezes, pois os vermes reagem de maneiras diferentes a diferentes drogas. O princípio ativo dos vermífugos na maioria das vezes é o mesmo usado em humanos, o que muda é a dose e frequência da aplicação. Uma sobre dose, ou seja, o uso em excesso, pode causar intoxicação na ave e levá-la a morte.

A maneira mais fácil de evitar as veminoses é a profilaxia, ou seja, uma boa higienização das instalações, fornecimento de alimentação com boa procedência e dentro do prazo de validade; evitar deixar a banheira de banho com água por muito tempo na gaiola, pois a ave pode ingerir esta água contaminada e com fezes; lavar bem verduras e frutas antes de fornecê-las as aves. E por fim, realizar consultas periódicas com o Médico Veterinário, para que o mesmo possa realizar um protocolo de prevenção adequado, melhorando assim a qualidade de vida da sua ave.

Referências Bibliográficas: ANDREATT! FILHO, R. L. Saúde Aviária e Doenças. São Paulo: ROCALTDA, 2007, 28, p. 269-273.

BARNES, H.J. Parasites, in. HARRISON, G.J.; HARRISON, L.R. Clinicai Avian Medicine and Surgery. Philadelphia: W.B. Saunders Company, 1986. p472-485.

FREITAS, M.F.L.; OLIVEIRA, J.B.; CAVALCANTI, M.D.B.; LEITE A.D.; MAGALHÃES, V.S.; OLIVEIRA, R.A.; SOBRINHO A. E. Parasites gastrointestinales de aves silvestres em cautiveiro em el estado de Pernambuco, Brasil. Parasitologia Latinoamericana, vol. 57, p. 50-54,2002.

VASCONCELOS, O.T. Parasitoses em aves de produção industrial, in. BERCHIERI JR, A.; MACARI, M. Doenças das Aves. Campinas: FACTA, 2000. p. 423-428.

Fontes disponíveis na internet:

http://avesenoticias.com.br/noticias/182-saiba-mais-sobre-as-verminoses-nas-aves

Nota:

img-canarinho223

 

O nemátodo C. Elegans é um pequeno verme que vive no solo, com um comprimento ate 1,2 mm na fase adulta (ver figura 1 ) . Encontra-se largamente distribuído por todas as partes do globo, alimentando-se de bactérias. O ciclo de vida é de cerca de 3 dias em condições óptimas, sendo capaz de produzir grande quantidade de ovos, geneticamente idênticos, visto que o morfismo sexual é predominantemente hermafrodita (99.9 %) (Altun and Hall, 2006).

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

2017© Amgercal Indústria e Comércio Ltda.
Fábrica e Escritório Central:
RUA PADRE FRANCISCO ABREU SAMPAIO, 33
Chácara Bela Vista - Sumaré - SP - cep: 13175-560
Tel: (19) 3873-4161 / (19) 3803-2065 / (11) 97110-0585 Whatsapp
E-mail: vendas@amgercal.com.br
Site e Publicidade: Artware