Informação, Tecnologia e Qualidade a Serviço do Criador.

O portal feito para você e seu pássaro!

(19) 3873-4161 / (19)3903-2065 / (11)97110-0585

vendas@amgercal.com.br

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
  |    |   São Paulo - SP 

Canaricultura Para Novatos

canaricultura_para_novatos

Edição de texto: Marcos Pennacchi
Foto: Arquivo Cães & Cia

O LOCAL DA CRIAÇÃO
O primeiro passo que deve ser dado quando se pretende criar
canários é a escolha de um local

tuga

adequado. Com frequência as aves são vistos alojadas em locais totalmente desprovidos das condições mínimas necessárias, principalmente resultantes de um "provisório" que acaba se tornando "definitivo". São comuns os casos de pessoas que mantêm seus pássaros em ambientes pequenos, escuros e mal iluminados, sendo que estes factores facilmente determinam um completo fracasso na criação. Ao se iniciar uma criação de canários, o ideal é que se construa um cómodo específico para tal finalidade.

O espaço deve ser suficiente de forma que no seu interior caibam:

as prateleiras de apoio, as gaiolas dos pássaros e as gaiolas de reserva (para novos canários), armário para a guarda da alimentação e dos inúmeros utensílios como comedores, bebedouros, ninhos, banheiras, suportes, divisórias de gaiolas, medicamentos e toda a documentação de consulta e controles.

O canaril deverá ser construído voltado para o nascente, permitindo a entrada dos benéficos raios solares da manhã e evitando o calor da tarde.

O cómodo deverá ter uma iluminação adequada, fornecida por grandes janelas situadas estrategicamente. Estas janelas deverão ser revestidas por telas finas, tipo mosquiteiro, que impedirão a entrada de insectos prejudiciais à criação e transmissores de doenças. Pelo mesmo motivo, deve-se vedar bem as frestas, evitando a entrada de ratos e pequenos camundongos.

As paredes e o piso devem ser o mais liso possível, para permitir uma correta higienização do cómodo. A instalação de uma pia para lavagem das hortaliças e utensílios diversos é de todo conveniente.


AS GAIOLAS E UTENSÍLIOS

A escolha das gaiolas é fundamental no início de qualquer criação. Embora possam ser fabricadas sob medida (mais caras) sugerimos as PADRONIZADAS para pássaros individuais e gaiolas para acasalamento com seis comedouros de divisória central com três alturas de grade nas laterais. Devem possuir fundo duplo (um de grade e outro de forro para coletar os detritos), facilitando a higiene. Este padrão fornece um espaço razoável e suficiente para suas finalidades. Quando já se possui um plantel considerável deve-se usar gaiolões (ou voadeiras) e viveiros para alojar 20 ou mais pássaros, filhotes e adultos. Aves agrupadas em pequenos espaços vivem em constante "stress", resultante da disputa por comida, rotina de poleiros e companheiro. Este stress interfere sobremaneira na função reprodutiva da ave, sendo a principal causa de insucesso numa criação.


Cada gaiola exige uma série de utensílios, tais como poleiros, comedouros (tipo meia lua), bebedouros e banheiras. Estes devem ser na medida do possível, também padronizados, o que dará a criação um aspecto de capricho por parte do canaricultor. Com relação aos poleiros, sua espessura deve ser suficiente para que o pássaro os agarre sem ficar com os dedos muito abertos, nem encontrando um com o outro por baixo do poleiro. Devem estar firmes nas grades da gaiola.


FORMAÇÃO DO PLANTEL

São comuns os casos de neófitos que desistem da canaricultura devido a insucessos provocados pela aquisição de aves de qualidade inferior. Quando se decide criar canários, deve-se procurar começar com um número pequeno de casais e sempre adquiri-los de um criador conhecido, preferencialmente após a indicação de algum clube de criadores. Não se deve esquecer, entretanto, que nem sempre a aquisição de vários pássaros campeões garante o nascimento de filhotes do mesmo nível, pois apenas um trabalho a longo prazo, usando judiciosamente as leis da genética, pode garantir tal sucesso.


ALIMENTAÇÃO

Indiscutivelmente, o factor mais importante numa criação bem sucedida é a alimentação. Infelizmente, a canaricultura ainda não atingiu um estágio que possibilitasse estudos científicos concretos acerca das necessidades nutritivas dos canários, a exemplo do que já ocorre com outras espécies domésticas. Assim, a nutrição destas aves é empírica e, na grande maioria das  vezes, errada. Os canários são aves granívoras e, evidentemente, os grãos devem ser a base de sua alimentação. As sementes mais utilizadas são alpiste, nabão, aveia, colza e níger; alguns criadores usam ainda outras sementes menos aceitas pelos pássaros, como senha e linhaça. A forma de administração varia de acordo com a facilidade de manejo, podendo as sementes serem fornecidas em misturas ou separadamente. Além das sementes, a chamada "farinhada" é um complemento nutricional importante, especialmente na época da reprodução. A farinhada é composta por alimentos farináceos misturada, imediatamente antes de ser fornecida, com ovo cozido integral ou só a gema, o que é melhor. Em sua formulação, cada criador usa ingredientes diversos em variadas proporções, como milharina, neston, mucilon e outros. Atualmente já existem no comércio farinhadas nacionais e importadas prontas, de excelente qualidade, que normalmente já possuem em sua fórmula gema de ovo liofilizada, bastando ser levemente humedecidas e fornecidas aos pássaros. Estas farinhadas prontas são mais adequadas nutricionalmente e facilitam o trabalho do canaricultor.

Os canários com factor vermelho devem receber, junto à sua alimentação, um suplemento de cantaxantina, uma pró-vitamina A, necessária à manutenção de sua cor característica. O fornecimento de cantaxantina é feito por sua incorporação à farinhada, na proporção de 5 gramas para cada quilo desta.

Além dos itens descritos acima, a alimentação dos canários pode ser complementada com verduras (couve ou almeirão), maçã e jiló, muito mais para agradar aos pássaros do que por seu aspecto nutricional. O uso destes complementos deve ser evitado no primeiros dias de vida dos filhotes pois a canária, por uma questão de facilidade, tende a sobrecarregá-los com estes alimentos, comprometendo sua nutrição (evite fornecer estes alimentos para os casais com filhotes nos primeiros três dias de nascido, pois poderão ter diarréia).

Utilize para os filhotes recém nascidos e durante todo o seu primeiro mês de vida, uma mistura de papa de pão dormido com leite e igual quantidade de água. Depois de bem espremido sirva em pequenos comedouros, trocando a papa de quatro em quatro horas para prevenir que azede. Caso seus canários acostumem-se com esta alimentação, seus filhotes terão um rápido desenvolvimento. Não dê a papa junto com verduras.


Não deixe faltar à sua ave um comedor por gaiola com areia lavada, peneirada, misturada com cascas de ovos torradas e trituradas. Lembre-se que os canários não possuem dentes e precisam desses grãos para digerirem os alimentos.

Finalmente deve-se lembrar do mais importante nutriente a ser fornecido: a água, que deve ser sempre limpa e fresca.


ACTIVIDADES DE ROTINA

As tarefas No canaril devem se constituir em uma rotina a ser seguida pelo responsável pelo tratamento das aves. As seguintes operações devem ser realizadas:

* A água deve ser trocada e as sementes sopradas e renovadas diariamente. A prática de se misturar sementes de várias gaiolas é absolutamente contra indicada, pois contribui para a disseminação de doenças.

* A cada três dias o forro de papel das bandejas deve ser trocado. Alguns criadores colocam várias folhas de  forro e vão retirando uma por dia; essa prática não funciona quando é oferecido água de banho para os canários, pois as folhas de baixo acabam ficando molhadas. Já existem folhas de forro absorventes nas lojas especializadas e associações, porém podem ser usadas folhas de jornal para este fim.

* Quinzenalmente as grades e os poleiros devem ser escovados, raspados e lavados preferencialmente em uma solução constituída por 1 litro de água sanitária e 4 litros de água comum. Esta solução pode também ser utilizada na lavagem dos bebedouros (também quinzenalmente) e comedouros (mensalmente).

* A colocação de banheiras para a higienização dos pássaros é muito importante e deve ser feita pelo menos por três vezes na semana.

* Os banhos de sol são importantes para a fixação das vitaminas e minerais. Neste aspecto convém expor as aves ao sol da manhã, por períodos não muito prolongados (de 15 a 30 minutos), pelo menos uma vez por semana.


REPRODUÇÃO

A reprodução dos canários acontece no período dos meses de Fevereiro/Março a Julho. Normalmente faz-se o acasalamento na segunda quinzena de Março para que, no início de Maio, já possam ser realizadas as primeiras posturas, no entanto há quem comece em Fevereiro pois as condições do seu canaril assim o permitem.

Para a reprodução, devem ser observados os seguintes itens:

* É de todo conveniente que a escolha dos casais seja feita com critérios, isto é, que se saiba o filhote que se está buscando. Seja pela cor, pelo porte ou canto.
* O futuro casal deve estar pronto para a empreitada. Batem muito suas asas, piam chamando o sexo oposto e as fêmeas apresentam um inchação bastante saliente próximo da cloaca.

* Para o acasalamento, macho e fêmea devem ser mantidos separados pela divisória da gaiola até que se note trocando comida pela grade. Estarão prontos para se juntarem sem brigas.


* O ninho adequado é aquele em formato de taça, com forro de espuma ou flanela. O uso de forros de carpete pode ocasionar acidentes com os filhotes ou mesmo com a canária, pois suas unhas poderão se prender às fibras. Deve ser oferecido ao casal material para acolchoar o ninho tipo fios de saco de aniagem com 5 cm de comprimento ou mesmo algodão desfiado.


* A postura dos ovos se dá sempre nas primeiras horas da manhã, período no qual a fêmea necessita de muito sossego, evitando-se que ela tenha dificuldade na postura ou abandone o ninho. Após a postura de cada ovo, devemos retira-lo, guardando-o num recipiente com algodão e substituindo-o por um ovo de plástico (indez). Quando o último ovo é posto, reconhecido por sua cor esverdeada escura (a postura normal é de quatro a seis ovos), retornam-se os primeiros ovos. Isto garantirá o nascimento dos filhotes no mesmo dia, fazendo com que sejam do mesmo tamanho e cresçam uniformemente, evitando-se a perda dos menores.

* A incubação ou choco dura em média de 13 a 14 dias.


* Após 7 dias de incubação pode-se saber se os ovos estão fecundados fazendo-se sua observação contra uma luz forte, pois apresentarão pontos escuros em seu interior.

* Até o nascimento dos filhotes, a canária deve ter banho à sua disposição, permitindo um aumento da taxa de humidade do ninho, facilitando o nascimento dos filhotes na árdua missão de quebrarem a casca dos ovos.

* Entre 5 e 7 dias de idade, os filhotes devem ser anilhados. É uma operação delicada que deve ser feita por pessoa experiente.


* De maneira geral as canárias são boas mães, não necessitando de quaisquer outros cuidados. É suficiente o fornecimento da alimentação rica e abundante, sobretudo farinhada amassada com gema de ovos (cozidos por mais de 20 minutos e na proporção de três colheres de sobremesa de farinhada para cada gema), . Entretanto se uma canária choca mal ou não trata dos filhotes, o que acontece entre aves de raça, podem ser empregadas canárias comuns (pintadas) no papel de amas-secas para esta tarefa. Filhotes rejeitados pelas mães podem ser transferidos para outro casal aproximadamente da mesma idade.

*Pouco tempo após os filhotes abandonarem o ninho, a canária inicia um novo ciclo reprodutivo. Neste ponto, convém colocar a divisória da gaiola, separando os filhotes do casal. Esta medida permite que os filhotes continuem sendo alimentados pela grade até sua emancipação total e, por outro lado, impede que a canária arranque penas dos filhotes para forrar o novo ninho. Normalmente os filhotes podem ser separados em definitivo dos pais com 28 dias. Observe-os bem nos primeiros dias de separação verificando se conseguem alimentarem-se sozinhos.

* Uma canária não deve incubar mais de três ninhadas por ano, mas com o auxilio de amas poderá realizar até seis posturas.


SALVE A SELECÇÃO DOS CANARINHOS

É um bicho para se tirar o chapéu.
Elegante, tem um guarda-roupa de fazer inveja às estrelas de Hollywood e ainda por cima, canta melhor do que o Frank Sinatra!

Na cabeça de muita gente, canário é aquele passarinho amarelo, que serviu de apelido para a selecção brasileira de futebol nos áureos tempos. Uma avezinha delicada que Deus premiou com extraordinários dotes canoros. A crença popular até que não foge muito à verdade. Existem dezenas de espécies de canário no mundo inteiro com tamanho , cores e um jeito especial de "cantar".
O canário mais popular no país (originário das Ilhas Canárias, criado em cativeiro há mais de 500 anos) divide-se em: porte, canto e cor. Lizard, Border Fancy, Frizados, Yorkshire, Norwich e Scots Fancy são algumas das espécies de porte, ou seja, são julgados de acordo com certos padrões de plumagem e "postura" (a forma como se colocam no poleiro). Os canários de canto englobam o Harz Roller (única espécie criada no Brasil), Timbrado Espanhol e o Malinois e sua criação é considerada a mais difícil de realizar pelos experts. Um bom canário cantor necessita de cuidados especiais não apenas na criação como na manutenção diária. Ele precisa, por exemplo, permanecer em locais silenciosos, pois fica perturbado com ruídos fortes.
Os mais populares são, todavia, os canários de cor. São fáceis de criar e extremamente "sedutores" perante os criadores (em especial os iniciantes), devido à riqueza de sua plumagem. O canário amarelo é o mais comum, enquanto os vários tons de vermelho estão entre os mais procurados, como o vermelho intenso e o vermelho nevado. Nesta categoria incluem-se cerca de 168 cores, boa parte delas resultante de cruzamentos.
Qualquer que seja o canário escolhido, tê-lo em casa gozando de boa saúde não é nenhum bicho-de-sete-cabeças. Basta uma gaiola tipo argentina (60cm de comprimento, 35cm de largura e 40cm de altura) de metal (a madeira favorece a proliferação de piolhos), com piso removível - que facilita a limpeza diária. Este padrão é perfeito para acomodar um casal. Não esqueça de providenciar ainda um bebedouro e um comedouro adequados, sendo que o bebedouro deve ser desinfectado com frequência para evitar doenças. Quanto ao poleiro, lembre-se que para os canários ele deve ter entre 1 a 1,5 cm de diâmetro. Caso tenha mais de 2cm deve ser trocado, pois pode deformar os pés e unhas do pássaro. Como os canários gostam de tomar banho, uma vez por semana coloque um recipiente (com cerca de 3 cm de profundidade) cheio de água.
No mais, é pendurar a gaiola num local agradável, longe de correntes de ar, onde bata sol forte e voltada para o Norte. Assim seus canários apanharão os raios mais suaves do sol da manhã. O importante é que o local seja adequado para futuras procriações. Desta forma, escolha um lugar prático, onde possa limpar a gaiola e tratar dos canários sem ter que tirá-la da onde está pendurada.

RESPEITO COM O RELÓGIO BIOLÓGICO

O acasalamento se dá entre os meses de Junho e Dezembro (Brasil) ou de Fevereiro a Junho (Portugal) e a reprodução inicia-se de 8 a 12 meses de idade. Você deve comprar um ninho de corda (desses que vendem nas lojas de aves) e deixar o casal junto ou somente ajudar, fornecendo fios de estopa e deixar que a fêmea, com a ajuda do macho, faça o resto.
Assim que a fêmea botar os ovos, cuidado para não ficar acendendo a luz no meio da noite no local onde estiver a gaiola. Para qualquer animal, luz acesa é sinónimo de dia e escuridão, de noite. A luz artificial pode fazer a fêmea pensar que já é dia (desregulando assim o seu relógio biológico natural) e abandonar os ovos, os quais podem até estragar. Ao fazê-lo por uma razão ou outra, observe depois se ela voltou para o ninho.
A fêmea bota, em média, de quatro a cinco ovos. O período de incubação dura 13 dias. A fêmea começa a chocar a partir da postura do segundo ovo e continua a botar, provavelmente, mais dois ovos. Se você deixar ela incubá-los naturalmente, nascerá o filhote do primeiro ovo, em seguida o do segundo e por último (dois dias após o primeiro) os do terceiro e quarto dias juntos.
Neste caso, o que ocorre é que o primeiro estará muito maior que os dos últimos, ocasionando uma disputa desleal dos alimentos dados pelos pais. Assim, os dois menores, provavelmente, não terão chance de sobreviver.
Uma boa dica é substituir o primeiro, segundo e terceiro ovos por réplicas de plástico (ovo index), recolocando-os no 4º dia, ao lado do quarto ovo posto. Esteja atento apenas para não assustar a fêmea na hora de retirar os ovos e, enquanto espera o 4º dia, deixe-os num recipiente com um pouco de semente (níger, alpiste etc.) no fundo para não quebrarem. Nesta época de postura, é importante também colocar diariamente um recipiente com água, para a fêmea tomar banho. Isto ajuda a aumentar a humidade sobre os ovos, e o filhote romper a casca.
Entre 18 e 20 dias, os filhotes saem do ninho, embora continuem alimentados pelos pais. Quando chegam aos 40 a 45 dias, já começam a comer sementes e devem ser separados dos pais.

SEMENTE, VERDURA, RAÇÃO... CANÁRIO GOSTA!

Canário bonito e saudável é resultado de uma equação que começa com cuidados e alimentação. Um petisco que os canários adoram é uma mistura de quatro partes de alpiste para uma de aveia, colza, níger ou linhaça. Essas sementes devem ser lavadas e postas ao sol para secar, antes de serem colocadas na gaiola. As verduras podem ser escarola e almeirão e, para completar, dê a seus canários uma ração cuja receita é a seguinte: para cada gema de ovo cozido e passado na peneira, adicione 5 colheres (sopa) de farinha de rosca e uma colher (chá) de Meritene. Dá para cinco casais de canários ou para um casal com filhotes. Para um casal sem cria, a metade da receita é suficiente, já que não pode ser guardada de um dia para outro e sim trocada diariamente, e você pode colocar a ração duas a três vezes por dia no porta-vitamina (à venda nas lojas de aves). Havendo filhotes, a mistura deve ser deixada durante todo o dia, num recipiente maior, para que os pais possam alimentá-los. É ideal para fortalecer o crescimento dos filhotes, pois tem proteína e vitamina.


 

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

2017© Amgercal Indústria e Comércio Ltda.
Fábrica e Escritório Central:
RUA PADRE FRANCISCO ABREU SAMPAIO, 33
Chácara Bela Vista - Sumaré - SP - cep: 13175-560
Tel: (19) 3873-4161 / (19) 3803-2065 / (11) 97110-0585 Whatsapp
E-mail: vendas@amgercal.com.br
Site e Publicidade: Artware