Informação, Tecnologia e Qualidade a Serviço do Criador.

O portal feito para você e seu pássaro!

(19) 3873-4161 / (19)3903-2065 / (11)97110-0585

vendas@amgercal.com.br

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
  |    |   São Paulo - SP 

O Canário Ágata Opala

opalaCarlos Lima ( Juiz CNJ / OMJ )


1- MUTAÇÃO OPALA

O factor opala é uma mutação genética  recessiva e livre, reside nos autossomas e nos cromossomas sexuais.A_Q_U_I___I_M_A_G_E_N_S

Este factor atua na plumagem do canário ágata da seguinte forma:

Reduzindo a Phaeomelanina quase por completo, evidenciando o lipocromo mais nítido e luminoso.

Reduzindo a Eumelanina negra que se apresenta de cor cinzenta azulada.

Reduzindo quase por completo a Eumelanina castanha.

 

A plumagem destes canários adquire uma tonalidade cinzenta azulada, devido à ausência de melanina na parte superior das penas e a concentração desta na parte inferior, produzindo o efeito de refração da luz ( factor óptico ).

A mutação opala é de fácil reconhecimento uma vez que as penas da parte superior do dorso são mais claras do que as da parte inferior, característica que observamos nitidamente nas penas das asas ( remiges ) e cauda ( rectrizes ).

A pena dos canários que apresentam a Eumelanina negra ( Negros e Ágatas ) é sempre mais rígida.

As partes córneas ( bico – patas - unhas ) apresentam a mesma cor dos canários clássicos.

 


 

2- CANÁRIO ÁGATA OPALA

Deve apresentar uma cor cinzento azulado, um desenho bem marcado, as estrias devem ser finas, nos canários intensos e mais largas nos relvados e mosaicos, curtas, interrompidas, alinhadas, apresentando um desenho nítido na cabeça ( bem marcado ).

O lipocromo de fundo ( vermelho ou amarelo ) deve ser muito luminoso, ausência e Phaeomelanina.

O bico, as patas, dedos e unhas devem ser da cor da carne da ave.

Apresentam uma subplumagem de cor cinzento pérola e os olhos são negros.

Defeitos:

Presença de Phaeomelanina.

Melaninas muito oxidadas ou demasiado diluídas, falta de brilho azulado, falta de bigodes, falta de estrias na cabeça e flancos, patas – bicos – unhas escuras e o lipocromo sem brilho e luminosidade.


 

3- CARACTERISTICAS DO STANDARD

Deve apresentar uma redução do desenho das Eumelaninas negras que se manifestam sob uma cor cinzenta azulada sobre um fundo cinzento pérola.

A combinação do canário ágata e do opala confere à ave uma plumagem com estrias cinzento azulado sobre um fundo mais claro.


 

4- ACASALAMENTOS

A reprodução dos canários ágata opala, na categoria mosaico é a seguinte:

O gene opala é recessivo e livre, devendo estar sempre presente em ambos os cromossomas, para que este se manifeste, como forma de gerar, machos e fêmeas puros ( homozigóticos ) e portadores ( heterozigóticos ).

Para obtermos um bom plantel destes canários, podemos seguir diversos caminhos, conforme as disponibilidades financeiras de cada criador.

A) O caminho mais curto e dispendioso, adquirindo diversos machos e fêmeas a um criador de renome.

B) O caminho mais moroso no entanto mais econômico é adquirindo um bom macho ou fêmea ágata opala, com as características da raça e proceder de seguida ao acasalamento com ágatas da linha clássica ( não devem apresentar qualquer vestígio de Phaeomelanina ).

Esta opção na primeira geração obterá machos e fêmeas portadores do factor opala.


 

5- ACASALAMENTO E RESULTADOS TEORICOS

Gene opala = O

Gene normal = N

Macho e fêmea opala = OO

Macho e fêmea portadores = ON

Macho e fêmeas normais = NN

5.1 – Acasalamentos

Macho ágata opala mosaico x fêmea ágata opala mosaico 100% ágatas opalas mosaicos machos e fêmeas.

Nota: este acasalamento é útil para conseguir uma grande quantidade de canários opalas, no entanto pode ocorrer quer a diminuição do seu tamanho, quer a diluição das melaninas.

5.2 – Macho ágata / opala mosaico x fêmea ágata opala mosaico ou vice-versa.

50% machos e fêmeas ágata opala mosaico

50% machos e fêmeas ágata /  opala mosaico

Nota: este acasalamento é muito importante porque evita a degradação da pena e ao mesmo tempo a intensidade do desenho ( marcação do desenho dorsal e flancos ).

5.3 – Macho ágata / opala mosaico x fêmea ágata / opala mosaico.

25% machos e fêmeas ágata opala  mosaico

50% machos e fêmeas ágata mosaico / opala

25% machos e fêmeas ágata mosaico

Nota: nos machos e fêmeas não opalas e respectivos portadores o seu reconhecimento só é possível através de futuros cruzamentos.

Os exemplares puros ( opalas ) são de qualidade superior.

Este cruzamento tem como finalidade melhorar as características dos canários opalas e ao mesmo tempo aumentar a sua resistência genética.

1.4 – Canários para exposição

Devem apresentar:

Uma plumagem o mais límpida possível.

Um lipocromo brilhante intenso ( nas zonas de eleição com a mesma tonalidade ).

Não deve apresentar remiges e rectrizes pigmentadas.

O comportamento na gaiola de exposição deve ser dócil e tranquilo, para o juiz o poder observar em todo o seu esplendor.

Deve apresentar um ângulo de 45 graus ( quando está no poleiro ) e que a cabeça, dorso e cauda formem uma linha reta.

Forma o mais harmônica possível e não demasiado fino.

 

 

 

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

2017© Amgercal Indústria e Comércio Ltda.
Fábrica e Escritório Central:
RUA PADRE FRANCISCO ABREU SAMPAIO, 33
Chácara Bela Vista - Sumaré - SP - cep: 13175-560
Tel: (19) 3873-4161 / (19) 3803-2065 / (11) 97110-0585 Whatsapp
E-mail: vendas@amgercal.com.br
Site e Publicidade: Artware