Informação, Tecnologia e Qualidade a Serviço do Criador.

O portal feito para você e seu pássaro!

(19) 3873-4161 / (19)3903-2065 / (11)97110-0585

vendas@amgercal.com.br

Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
  |    |   São Paulo - SP 

Os Piolhos - Uma Praga a Evitar

os_piolhos
William Martin Huerga F º.
Alamancos Vicente Guirao.

Umas das grandes preocupações dos criadores de aves são sem sombra de dúvida os piolhos, que nosA_Q_U_I___I_M_A_G_E_N_S transtornam principalmente na época de criações.As três principais espécies e as que mais incômodos e danos provocam são:
- Piolho do interior das penas (Picobia Bipectinata);
- Piolho da Pluma (Amalga Posrinus);
- Piolho Vermelho (Dermanyssus gallinae).

As duas primeiras espécies alimentam-se de descamações da pele e das penas das aves, só pontualmente chupam sangue, estas duas espécies são consideradas um problema efetivo se multiplicarem de forma descontrolada.


O piolho vermelho é o mais perigoso dos três dado que é hematófago, ou seja alimenta-se de sangue.
Este piolho atacando de uma forma continuada pode levar as aves a um estado de debilidade tal que provoca a sua morte, principalmente as pequenas aves jovens que se encontram no ninho sem qualquer defesa.

COMO DETECTAR A PRESENÇA DE PIOLHOS.
A ave infectada de piolhos, mostra-se muito inquieta e agitada, e tenta de todos os modos livra-se do parasita, quer através de banhos no bebedouro quer picando-se constantemente, o que vai provocar um estado menos bom da plumagem, todos estes esforços contínuos vão provocar um enfraquecimento das aves, inclusivamente poderá acontecer que os machos deixem de cantar.
Piolho das penas – Pelo simples exame da ave detecta-se este piolho, basta estender a asa da ave infectada, e observá-la a contraluz, vai notar-se uns pequenos pontos que se deslocam rapidamente ao longo das rémiges e retrizes.
Piolho dos barbados– Vive preferencialmente nos barbados das penas, e também com um exame cuidado se pode detectar este parasita.
Piolho Vermelho – Este piolho não vive na ave, sendo um animal noturno só ataca as nossas aves durante a noite, estando escondido durante o dia, nos mais diversos locais:
- Poleiros Ocos- Ninhos- Frinchas das gaiolas- Matérias de tecido.
Inclusivamente podem estar escondidos a distancias consideráveis das gaiolas que irão atacar durante a noite. Esta espécie quando não controlada vive em colônias de milhares de indivíduos.

MODO DE COMBATE
Atualmente existem no mercado vários produtos indicados para o combate destes parasitas, podendo estes apresentarem-se em spray ou em pó.
È importante a quando da escolha do produto para combate dos parasitas, verificar-nos se é especifico para aves e devemos sempre proceder conforme as indicações, para não provocarmos intoxicações, às aves.
Julgo também ser importante que quando se fizer a desinfecção da gaiola retirar comedouro se bebedouros, para termos a certeza de não vamos contaminar os alimentos.
Para combater esta praga, devemos proceder à desinfecção direta da ave e à desinfecção das instalações onde poderá estar a colônia de piolho.
Desinfecção direta – Pegar na ave cuidadosamente e desinfetá-la conforme indicação dada nos produtos.

Contudo quem tem um plantel elevado é um pouco complicado desinfetar ave por ave , neste caso aconselho a utilização de um spray direcionado diretamente às aves, tendo o cuidado de evitar a zona dos olhos. Atualmente o que uso para o combate desta praga é:
- Desinfecção direta com Paramectin uma gota por ave no dorso
- No ninho com spray inseticida da Tabernil
- E desinfecção das instalações com frontline Spray.

MEGA BACTÉRIA

- O que são? É muito engraçado porque lemos o seu nome poderia sugerir mais do que uma que é muito grande ou bactérias gigantes. Isso seria verdade se nós ouviu a sua aparência quando observada sob um microscópio, como eles têm uma forma alongada (como bacilar), manchou o azul violeta no núcleo de Gram (Gram +), e têm grande aparente e todo muito marcado cor stippling acima.
O que acontece é que além destas características, teríamos encasillarlas outros dentro do grupo de fungos, pois, como discutido a seguir aparecem somente responder a determinados fungicidas. Do nosso ponto de vista, a experiência de casos tratados estamos mais próximos a este último.
Não crie qualquer tipo de advertência contra esses organismos que parecem na moda ultimamente, temos visto em muitos casos, se em uma baixa proporção, como parte da flora normal de muitos dos nossos pássaros sem que causam doenças, especialmente em diferentes espécies e espécies de periquitos carduelis (pintassilgo, greenfinch, Luganos, etc ....).

- Como está afetando nossas aves? Para se ter uma idéia, vamos dar o canário, como espécie padrão, embora o pH destas aves é estabelecida entre 0,3 e 2 ACID ou seja,. O megabactéria (Macrorhabdus ornithogaster) e transformar este pH neutro e até mesmo fazer básico (7-7,5 a 8), isso resulta em distúrbios digestivos, especialmente o proventrículo, por isso entendemos que é o pré-moelas, fazendo com que se dilatam para aumentar de três vezes o seu tamanho e sendo este o local preferido para a megabactéria armazenado.
Definitivamente vai causar problemas digestivos, como vômitos e fezes diarreia ou alcatrão que vai acabar o "Embolado" e "guillado" (perda de massa peitoral), terminando com a morte de muitos espécimes.

- Que sintomas podem representar esta condição em nosso aviário? Comece com uma desaceleração da atividade, parece mais relaxado e você pode ver um arrepiando as penas da cabeça dando um mais estofo para isso. Depois, segue com um balling de penas de pássaro totais nesta fase já está mostrando uma perda de músculo peitoral dando o pássaro o sintoma comum do mal seco, seco ou quilha, se soprar as penas de olhar para a região visto um aumento abdominal intestino (enterite), um caroço, redondo duro na mesma região (proventriculite), e em alguns indivíduos pode ver um crescente escuro é o fígado (hepatite) e se você só vê uma ponto negro corresponde a um baço inchados (esplenite).
Este conjunto dá um desigual e abdômen como "sujo", com veias? Atravessando toda a região abdominal.
Os pássaros parecem comer mais, mas olha só como ele descascou sementes, mas não se todos os grãos que pudéssemos observar as peças no chão e alimentadores. As fezes são mais volumosos castanho claro a diarreia esverdeada e muitas vezes são. Outro sintoma a ser observado é que, se nós, luvas de látex fino e limpo através de nossos dedos, vemos que há pedaços de fezes não digerido sementes também.
Não estão descritos casos de cura espontânea, mas a maioria morrendo pássaros, e essas mortes não são hoje, porque amanhã pode cronificar a semanas e meses.

- Como esse problema pode aparecer e se espalhar nos aviários? Normalmente e, como mencionado, a parte megabactéria da flora intestinal dos nossos aves, factores de stress, parasitas e outras condições simultâneas estão a diminuir a eficácia do sistema imunológico das nossas aves que favorecem a multiplicação deste agente.
A aquisição de cópias em outros lugares acostumados a condições de outras alas do nosso aviário e sem quarentena oportuna poderia provocar o seu rebentamento de um surto da doença em nossos cães.
O calor ea umidade favorecem a manutenção e disseminação da megabactéria.
Não se esqueça que a transmissão é fecal-oral, por isso, se a higiene e protocolo de limpeza são inadequadas nós mesmos vetores (transmissores) do processo, este último é muito importante.

- Como podemos achar que eles são megabactéria e combatê-los? Com todos os sintomas e sinais acima pode guiar-nos, mas para um diagnóstico definitivo é aconselhável tomar algumas amostras de fezes o mais fresco possível para os indivíduos afetados e ir a um veterinário e um estudo das fezes mesmo a um diagnóstico foi alcançado preciso. Não é raro ver este processo com os outros e não o menos mal aos nossos pássaros (coccídeos sp, guardas sp, nematóides, etc ....).
Uma vez diagnosticado o processo que colocar um tratamento adequado, este é controverso; antibióticos sozinhos não fazem muito, e nem todos são fungicidas eficazes. Destas últimas, itraconazol sido bem sucedida em algumas canários combinados fígado e nos rins e protectores combinada com antibióticos, mas em pintassilgos alta toxicidade foi observada a solução ser pior do que a doença. Fluconazol parece que também elimina estes problemas bem sem toxicidade??. Em nossa visão, o que funciona melhor é a anfotericina B (Fungilin, fungizona) combinado com hepatorenales protecção e antibióticos como enrofloxacina e tilosina.
O tratamento é essencial para a administração da qualidade prebióticos, facilmente digerível dieta (baixo teor de gordura), e corrigindo vitamina. A eficácia do tratamento depende da condição de cada um, porque podemos eliminar megabactéria mas não podemos regenerar órgãos que fazem muito alterado apesar de o resultado do tratamento é fatal.
O tratamento com anfotericina B não deve ser menor do que 7-10 dias, e pode ser estendido até meses. Também não devemos esquecer que os indivíduos recuperados podem reter algumas pequenas populações em sua proventrículo megabactéria pendentes algum fator de estresse ou outras condições fazê-los brotar.


Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

2017© Amgercal Indústria e Comércio Ltda.
Fábrica e Escritório Central:
RUA PADRE FRANCISCO ABREU SAMPAIO, 33
Chácara Bela Vista - Sumaré - SP - cep: 13175-560
Tel: (19) 3873-4161 / (19) 3803-2065 / (11) 97110-0585 Whatsapp
E-mail: vendas@amgercal.com.br
Site e Publicidade: Artware